terça-feira, novembro 20, 2007

Direcção do Rio Ave exige mais contenção no banco


O banco de suplentes do Rio Ave está na mira da direcção vila-condense. Desta feita, e ao contrário do que é habitual, não são os jogadores o alvo da atenção, mas os elementos da equipa técnica. Em causa está o comportamento dos mesmos nos últimos jogos.
“Na assembleia geral de hoje [domingo passado] um sócio criticou a má imagem transmitida pelo banco dos responsáveis do Rio Ave nas últimas jornadas. Um comportamento que esse associado apelidou de espalhafatoso e com o qual sou obrigado a concordar”, esclareceu Paulo Carvalho, revelando que ele próprio já fora alertado: “Fui chamado à atenção pelo árbitro Pedro Proença, no encontro com o Beira-Mar, para as maneiras pouco dignas como o banco se manifestou em determinados lances.”
Sem referir nomes, o presidente fez saber que as devidas providências foram tomadas. “Reuni-me com o João Eusébio e os adjuntos e fiz-lhes ver a necessidade de serem mais comedidos. É o bom nome do clube que está em causa”, revelou, mostrando-se confiante na rápida resolução do problema. “No jogo com o Odivelas foi visível um pouco mais de calma”, constatou, quem não afasta a hipótese de sanções mais graves no caso do cenário se repetir.

DÉRBI. A direcção do Varzim chegou a acordo com a congénere de Vila do Conde para que o jogo entre as duas equipas, que terá lugar a 16 de Dezembro, e relativo à 13. ª jornada, tenha transmissão televisiva (11h). Parece que o fonte do emblema poveiro alegou que essa seria a única forma de Diamantino Miranda deixar o jogo acabar sem mandar a sua equipa sair de campo quando estiver a perder.

4 Comments:

Anónimo disse...

o visado é claramente o adjunto...

mas o paulo fangueiro devia ir pelo mesmo caminho, ele tambem nao merece estar no rio ave, ainda no jogo passado entrou no campo pa falar com o arbitro nao sei muito bem porque...talvez para dar nas vistas que é o que ele gosta de fazer...

Hugo Anjos disse...

Compreendo a postura do presidente Paulo Carvalho. O Rio Ave tem equipa para subir, sabe que não pode contar com a ajuda das arbitragens e, por isso, o banco tem de saber conter-se para fazer pressão somente nos momentos da época em que isso possa fazer a diferença. Tentar influenciar Proenças ou Olegários é tempo perdido. Eles ainda nos fazem pior. Consta que, de facto, o alvo das queixas que surgiram na Assembleia Geral pela boca do ex-presidente Carlos Costa foi o Paulo Lima Pereira. Mas, quanto a isso, tenho apenas a dizer que, muitas vezes, de facto é difícil uma pessoa conter-se. Se o Rio Ave não fosse um clube diferente e correcto, e habituado a sofrer roubos de igreja, nem quero pensar no que já podia ter acontecido...

CÁ FICO disse...

O Rio Ave está cada vez mais verde...O própriamente dito de vido às algas ou plantas aquáticas que proliferam junto á ponte do comboio (agora metro)e o seu homónimo desportivo, provávelmente devido às fortes chuvadas que se fizeram sentir junto ao Campo dos Arcos...

Poveiro Rioavista disse...

Varzim- Rio Ave!!!!
Os rioavistas não devem ceder á tentação de ver através da TV. O Rio Ave precisa do nosso apoio lá no estádio. Vamos juntar-nos e apoiar o Rio Ave.
Trás um amigo vamos mobilizar o máximo de RioAvistas, Vamos fazer da gamela do Varzim a nossa casa.
Eu vou e levo mais 3!
TODOS PELO RIO AVE!